Dez motivos para investir no Tesouro Direto

Queridinho dos investidores e dos analistas, o Tesouro Direto já é considerado um dos melhores investimentos de todos os tempos. Mas afinal, o que é o Tesouro Direto e por quê ele é tão indicado com aplicação financeira?

Porque investir no Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional (espécie de “caixa” do Governo) que concede títulos públicos a pessoas físicas por meio da internet. Os títulos públicos são investimentos em renda fixa, ou seja, é possível prever o rendimento no momento em que você faz a aplicação. É uma espécie de “empréstimo” que você faz para o governo em troca do direito de receber uma remuneração por isso, considerando os juros desse empréstimo. O dinheiro geralmente é usado pelo governo para fazer desenvolver políticas públicos em saúde, educação, infraestrutura, entre outros.

O programa foi desenvolvido em 2002, em parceria com a BMF&F Bovespa e é considerado uma opção de investimento de baixo custo e segura, já que são considerados ativos com menor risco em uma economia.

Veja abaixo dez motivos para investir no Tesouro Direto:

1- Você pode começar a investir com apenas R$ 30,00 ou 10% do valor do título. É possível investir de acordo com o seu bolso: com R$ 30,00 na mão ou com apenas 10% do valor do título, e 1% do valor do título para compras programadas é possível investir. O teto mensal de compras por pessoa física é de R$ 1 milhão.

2- Possibilidade de investir como pessoa física em títulos públicos. É possível fazer o investimento e ter controle sobre o tempo todo, escolher prazos, indexadores, etc. Também é possível agendar as aplicações com antecedência e de forma periódica.

3- Diversidade de títulos para investir. Existem títulos públicos para vários tipos de perfis de investidor: os préfixados (LTN, NTN-F) e os pósfixados (LTF, NTN-B, NTN-B Principal). Veja os detalhes de cada título aqui.

4- Acessibilidade e facilidade de investir via internet. Uma das principais vantagens do Tesouro Direto é a possibilidade do investidor montar sua carteira de acordo com os seus objetivos, adequando prazos de vencimento e indexadores às suas necessidades. Veja aqui como fazer o processo via internet.

5- Segurança. Considerado de baixo risco, já que os ativos são garantidos pelo Tesouro Nacional. O Tesouro Direto é o investimento ideal para situações em que não se pode correr riscos, como um investimento para uma festa de casamento ou a compra de um apartamento, e para, no máximo, dois anos.

6- Boa liquidez. Conhecido por sua ótima liquidez, o investidor pode vender o título antes da data de vencimento: o governo garante a sua rentabilidade por meio de leilões realizados semanalmente. A boa flexibilidade possibilita escolher títulos mais adequados à sua expectativa de prazo. O prazo pode variar de poucos meses a muitos anos.

7- Automatização do investimento. Dá para programar as compras e vendas futuras e reinvestir aumoticamente os juros semestrais recebidos ou o valor resgatado na data de vencimento.

8- Taxas de administração menores. Por ser feito via internet possui taxas menores de intermediação. A BM&Ibovespa também dá incentivos de redução de taxas, como na terceira compra realizada pelo agendamento prévio, em que a porcentagem pode cair de 0,10% para 0,05%. Se você optar pelo reinvestimento de seus rendimentos, será isentado desta taxa de negociação.

9-  Imposto de renda.No Tesouro Direto, o imposto só é pago no momento de pagamento de juros, resgate ou vencimento.

10- Boa rentabilidade. É possível escolher a forma de remuneração dos títulos: há títulos com taxa pré-fixada no momento da emissão e outros que variam de acordo com um indexador de mercado. A rentabilidade da aplicação em títulos públicos é bastante competitivo se comparado com as outras aplicações financeiras de renda fixa existentes no mercado.

Para quem é mais conservador em suas aplicações financeiras, mas está querendo sair da poupança, investir no Tesouro Direto pode ser a melhor opção. Como qualquer outro investimento, o prazo trabalha a favor da rentabilidade, ou seja, quanto maior o prazo, menor as taxas cobradas. Para se ter uma ideia desta vantagem, se a Selic se mantivesse em 11,75% ao ano, o rendimento do Tesouro Direto ainda seria melhor que o da poupança (7%) e o dos fundos de baixo risco que estão com rentabilidade em torno de 8%. Sua liquidez diária não exige que você fique acompanhando o investimento intensamente.

https://youtu.be/_-fR0WU6lg0

Gostou deste post? Deixe seu comentário!