Educação Financeira Infantil: Dicas Que Seu Filho Deve Aprender

Imagem relacionada

Educação Financeira Infantil – Para evitar que os filhos se tornem adultos com dificuldades em lidar com o dinheiro, os pais precisam entender a importância da educação financeira infantil. Ao incluir hábitos saudáveis relacionados ao dinheiro na vida das crianças desde cedo, os pais contribuirão para que tenham um futuro mais equilibrado financeiramente.

Vivemos em uma sociedade capitalista e é inegável que o dinheiro representa uma parte importante de nossas vidas. Por isso, é aconselhável que a educação infantil financeira passe a incluir, de maneira leve e lúdica, as noções básicas de como lidar adequadamente com as finanças.

Desta forma, introduzir aos poucos a educação financeira infantil na vida das crianças será uma contribuição importante para um futuro mais equilibrado financeiramente.

O papel dos pais não é o de serem eternos provedores, mas, sim, o de ensinar o caminho para que os filhos andem com as próprias pernas e possam usufruir do prazer que o dinheiro pode proporcionar.

Porém, nem sempre é fácil saber como fazer isso de forma que eles compreendam o básico sobre finanças, descubram a importância de economizar e levem o ensinamento para frente.

Como e quando falar de dinheiro com as crianças

Imagem relacionada

Por volta dos 3 anos de idade, a criança já entende que o dinheiro é necessário para adquirir coisas, pois vai observar que você paga ao vendedor e recebe um produto em troca. No entanto, não existe uma idade específica para iniciar a educação financeira infantil, dessa forma, é bom prestar atenção aos interesses de seus filhos.

Quando a própria criança começa a pedir para comprar coisas, é importante que ela comece a aprender algumas noções básicas sobre o valor do dinheiro, sempre de forma leve e amigável. A educação financeira infantil pode ser conduzida com naturalidade, e não como uma imposição dos pais sobre as crianças.

Reunimos neste post  algumas dicas para iniciar este assunto com os pequenos.  Confira:

1. Incentive o uso de um cofrinho

Resultado de imagem para mesada

Essa é uma ideia muito boa, especialmente para as crianças menores. Dê um cofrinho de presente para o seu filho e o incentive a colocar moedas com frequência lá dentro. Explique que o dinheiro só poderá ser retirado quando o objeto estiver cheio e ajude a criança a pensar em alguma coisa que poderá ser comprada com o valor obtido..

2. Dê uma mesada

Imagem relacionada

Oferecer uma pequena quantia mensal ou semanal para as crianças, a partir de 6 ou 7 anos, é uma ótima forma de ensinar a lidar com o dinheiro. Para isso, é bom observar algumas recomendações:

– explique à criança como as moedas e notas são divididas em diferentes valores e dê exemplos concretos do que pode ser comprado com cada quantia;
– deixe claro quais despesas continuam a ser pagas por você e quais serão pelo dinheiro da criança;
– não ofereça valores muito altos: contar um real para cada ano de vida da criança é uma boa referência. Uma criança de 8 anos pode receber 8 reais por semana e assim por diante;
– se a criança gastar tudo de uma vez só, aproveite para começar a falar sobre poupança e planejamento;
– ensine finanças e matemática ao mesmo tempo: incentive a criança a anotar os gastos e a fazer contas para saber de quanto ainda dispõe “em caixa”.

3. Defina um valor adequado para a mesada

Imagem relacionada

Muitos pais não sabem exatamente qual o melhor valor de mesada. Alguns pontos devem ser levados em consideração para chegar a esta quantia: a disponibilidade no orçamento familiar e a natureza dos gastos da criança, assim como o nível de responsabilidade financeira que deseja transferir para ela.

Um garoto de oito anos tem gastos diferentes de uma menina de 12, por exemplo.Enquanto o menino tem gastos como revistas em quadrinhos, doces e álbuns de figurinhas, a menina mais velha, geralmente, tem um grau de maturidade mais elevado, com uma vida social mais intensa, como cinema, lanches no shopping, passeios com as amigas.

A mesada deve acompanhar o estilo de vida e os hábitos da criança, mas, claro, deve estar dentro do seu orçamento financeiro.

4. Ensine a importância de registrar os gastos

Se você é responsável pelas finanças da casa, provavelmente sabe a importância de manter todas as saídas e entradas de dinheiro bem registradas, seja utilizando um bloco de notas, uma planilha ou um aplicativo de controle financeiro.

Só assim, é possível visualizar para onde o dinheiro está indo, quando é necessário economizar e quais são os gastos que podem ser cortados . Passe esse ensinamento para seus filhos: mostre a eles as vantagens de ter todas as despesas registradas com precisão e como fazer isso de maneira eficiente e prática.

5. Brincando e aprendendo finanças

Imagem relacionada

Para as crianças, aprender brincando é sempre mais divertido, por isso os brinquedos, jogos e livros coloridos são bons aliados dos pais na missão de ensinar a lidar com o dinheiro. Até algumas histórias infantis, como “A cigarra e a formiga” e “A galinha dos ovos de ouro” podem ser úteis para introduzir conceitos financeiros importantes para as crianças.

É possível encontrar brinquedos simples, como a caixa registradora, que reproduz uma situação de compra e venda em uma loja, por exemplo.

Para os maiores de 8 anos, há os jogos clássicos mais sofisticados, como o tradicional Banco Imobiliário, que simula situações de compra e venda de terrenos, casas e empresas. A versão mais moderna do jogo inclui até a maquininha de passar cartão de crédito ou débito.

Na mesma linha do clássico Banco Imobiliário, há outras boas opções de jogos, como o Jogo da Mesada, que traz situações do cotidiano da criança, como a compra de um álbum de figurinhas ou de uma bicicleta nova.

Lembre-se de que muitas crianças se inspiram nos pais: mostre aos seus filhos de que maneira você organiza as contas da casa. Assim, eles conseguem visualizar a importância de manter as finanças bem ordenadas para que nenhuma conta seja esquecida no final do mês e para que o orçamento familiar flua da melhor maneira possível.

6. Converse sobre investimentos e assuntos relacionados

Insira desde cedo termos relacionados a assuntos financeiros nas conversas com seus filhos. Sempre explique os novos termos e procure esclarecer assuntos complexos com exemplos que tornem o aprendizado mais fácil.

Você pode criar situações fictícias para isso, com elementos que fazem parte do universo das crianças, para que o ensinamento fique mais interessante para elas

7. Use sites para ilustrar como educação financeira infantil pode ser divertida

Há na internet diversos sites que mostram que educação financeira infantil não precisa ser chata. Acesse as páginas com seus filhos e descubram juntos os recursos oferecidos. Entre as opções estão a Turma da Bolsa, o Banco da Criança e o Bate-Bola Financeiro.

Ensine educação financeira para suas crianças desde cedo e os veja se tornarem adultos com uma relação saudável com o dinheiro. A educação financeira infantil pode incluir as primeiras noções de consumo consciente.

Além de aprender a lidar com o dinheiro, as crianças também aprendem a valorizar as coisas compradas por ele, além de consumir somente o necessário, poupando recursos e evitando desperdícios.

Dica Extra: Convido você a assistir uma aula online e gratuita onde meu xará André Fogaça ensina “Como Ganhar de R$ 1 mil a R$ 5 mil por mês com dividendos”.

Mas calma, muita calma…. eu sei que essa promessa parece boa demais para ser verdade e eu nem quero você acredite nisso nesse momento.

Apenas faça sua inscrição, assista e depois me diga se o que você aprendeu faz sentido ou não. Combinado?

Clique aqui para se inscrever na aula: “Como Ganhar de R$ 1 mil a R$ 5 mil por Mês Com Dividendos”

Bons investimentos!

Ebook Grátis: Como Investir no Tesouro Direto
Como Investir Com Rendimento
  • Passo a Passo como investir
  • Qual o melhor título para investir
  • Rentabilidade de cada título
  • Prática do início ao fim
  • Um das melhores aplicações atualmente
  • Saiba porque fugir da poupança