O que é aplicação financeira? Qual é a melhor aplicação financeira?

Aposto que quando você descobriu esse blog pensou: “mais um que vai tentar me convencer que posso ficar rico”… Bom, adivinha? Você está certo. Estamos aqui para te ensinar não apenas que é possível enriquecer, mas quais são os caminhos que levam ao enriquecimento e ainda focando em aplicação financeira.

Mas tem um porém: se você pensa que existem fórmulas prontas para ficar rico em um passe de mágica, você está errado, muito errado. Mas calma, não desanime ainda. Em breve você verá que existe uma forma inteligente de fazer isso.

O que é aplicação financeira Qual é a melhor aplicação financeira

Enriquecer honestamente (principalmente em meio a tanta corrupção) é uma tarefa árdua e que demanda muito estudo e planejamento, mas é perfeitamente possível! A primeira prova de que você precisa começar a estudar o assunto e fazer um planejamento de como ganhar dinheiro é que 85% dos milionários enriqueceram por conta própria.

Isso mesmo, não ganharam dinheiro do nada, mas sim com muito esforço e planejamento. Em seu livro, o best-seller “Quem pensa, enriquece”, Napoleon Hill ensina que “Conhecimento é apenas poder em potencial. Só se torna poder se for, e quando for organizado em planos de ação definidos e dirigidos a um fim definido”.

aplicação financeira

Viu só? O segredo está em estudar e entender cada passo desta grande jornada que é ganhar dinheiro! E aí? Ficou animado? Então vamos começar?

Para começar o seu planejamento de ganhar dinheiro, primeiro precisamos visualizar quais são as formas de enriquecer. Veja algumas opções:

  • Ganhar na loteria;
  • Receber uma herança de família;
  • Passar em concurso público;
  • Tornar-se político;
  • Desenvolver um novo software muito importante e patenteá-lo;
  • Criar uma empresa como a Apple;
  • Ser convidado pra trabalhar como Chief ou Gerente no Google ou na Amazon;
  • Migrar para um país que pague em dólar ou euro;
  • Entender como, quando, quanto e onde investir seu dinheiro;

De todas as opções acima, a que se encaixa melhor ao mundo real é a última, concorda? Ótimo. Agora você compreende que para enriquecer precisa entender como, quando, quanto e onde deve investir seu dinheiro. Acredite ou não, agora você está pronto para compreender o que é uma aplicação financeira e que tipos de investimento você poderá fazer. Mas vamos começar pela pergunta: o que é uma aplicação financeira?

 

Ativo Financeiro

Aplicação financeira é a compra de um ativo financeiro, na expectativa de que, no tempo, produza um retorno financeiro ou seja, espera-se não só obter o capital investido, como também um excedente, a título de juros ou dividendos.

Traduzindo: quando você faz uma aplicação financeira você está comprando um bem (que pode ser físico ou não) e que, depois de um certo tempo, vai te trazer retorno financeiro, cujo valor não é apenas aquele que você investiu, mas que supera o montante inicial.

As aplicações mais comuns no mercado financeiro são a Poupança, o Certificado de Depósito Bancário (CDB), o Recibo de Depósito Bancário (RDB), os Fundos de Investimento e o Tesouro Direto. É claro que existem muitos outros. Mas por enquanto vamos nos focar nos mais conhecidos.

Mas então qual é a melhor aplicação financeira pra você?

Depende. Cada investidor tem uma história, um objetivo e uma característica própria (leia aqui o artigo “Perfil do investidor: você sabe o seu?”). Por isso é melhor começar pela aplicação financeira que se encaixa melhor ao seu perfil. Depois, é claro, você pode ir “experimentando” as outras. Por enquanto vamos aprender os conceitos básicos das aplicações financeiras que citamos acima:

Poupança

  • A Poupança é o tipo de aplicação financeira mais indicado para investidores muito conservadores, já que não tem cobranças de impostos e taxas e gera dinheiro em um curto período de tempo. A desvantagem é que ela rende menos que as demais aplicações;
  • O Certificado de Depósito Bancário, CDB, é um título privado, ou seja, é um documento emitido por instituições financeiras que é vendido ao público como forma de captação de recursos. Eles são negociados tanto a partir de uma taxa fixa de juros (pré-fixados) quanto de uma taxa vínculada a índices econômicos (pós-fixados). Quanto mais tempo você deixar o dinheiro, mais ele vai render e o risco é praticamente nulo (você só corre risco se o banco falir e mesmo assim ainda recebe até R$ 250 mil graças ao Fundo Garantidor de Crédito);
  • O Recibo de Depósito Bancário (RDB) também é um título privado, com taxas prefixadas ou pós-fixadas. A diferença entre os CDB e os RDB é que o CDB pode ser negociado antes do vencimento, enquanto o RDB é inegociável e intransferível. A desvantagem é que você precisa descontar o valor do Imposto de Renda;
  • Fundos de investimento são aplicações financeiras que reúnem vários investidores (cotistas) que visam um determinado objetivo ou retorno esperado. A administração e a gestão desse fundo é feita por especialistas contratados. Cada investidor (cotista) possui um número de cotas proporcional ao valor total de seus investimentos. Assim, quanto maior for o valor investido, mais cotas terá o investidor. O pessoal da “Melhores Fundos”, escreveu um texto bem bacana sobre tipos de investimento. Dá uma olhada aqui.
  • Tesouro Direto é um programa de negociação de títulos públicos a pessoas físicas por meio da internet. Segundo a revista InfoMoney o Tesouro Direto é considerado uma opção de baixo custo de investimento e seguro para o pequeno investidor, já que os títulos públicos são considerados os ativos com menor risco em uma economia. A desvantagem é que você precisa pagar taxas às corretoras e para a BM&F Bovespa;

Quanta coisa, né? Como nós dissemos no início, ganhar dinheiro não é uma tarefa fácil, mas é um objetivo possível de ser alcançado se for planejado adequadamente. Nos próximos artigos você verá que é uma questão de tempo e dedicação até que você vire um expert em aplicação financeira!

Dica Extra: Convido você a assistir uma aula online e gratuita onde meu xará André Fogaça ensina “Como Ganhar de R$ 1 mil a R$ 5 mil por mês com dividendos”.

Mas calma, muita calma…. eu sei que essa promessa parece boa demais para ser verdade e eu nem quero você acredite nisso nesse momento.

Apenas faça sua inscrição, assista e depois me diga se o que você aprendeu faz sentido ou não. Combinado?

Clique aqui para se inscrever na aula: “Como Ganhar de R$ 1 mil a R$ 5 mil por Mês Com Dividendos”

Bons investimentos!