Passo a passo para ganhar dinheiro com aplicações financeiras

A primeira coisa a ser feita antes de começar a investir dinheiro em aplicações financeiras é definir os objetivos. O que você quer alcançar com o seu investimento? Quanto tempo você estima que isso pode levar? Que quantia está disposto a investir?

Um guia bem bacana feito pelo pessoal do Melhores Fundos mostra cada item que você deve avaliar antes de escolher uma aplicação financeira. Veja:

  1. Prazo dos investimentos
  2. Objetivo dos investimentos
  3. Perfil de risco do investidor
  4. Categorias e perfis de risco dos fundos
  5. Rentabilidade
  6. Volatilidade
  7. Custos
  8. Equipe de gestão

Veja aqui um breve resumo de cada aplicação financeira

Passo a passo para ganhar dinheiro com aplicações financeiras 1 - poupança

Passo a passo para investir em uma poupança

Passo 1: escolher um banco para abrir a caderneta de poupança (veja aqui qual é o melhor banco para abrir uma poupança).

Passo 2: reunir os documentos para abrir a poupança. Os documentos necessários são: identidade, comprovante de residência e CPF. Obs: não é necessário ter uma conta bancária para abrir uma caderneta de poupança.

Passo 3: com o cartão da poupança (que deve chegar em cinco dias úteis na sua casa) você pode fazer os depósitos e/ou transferências e fazer saques sem taxas (desde que dentro do limite de saque do seu banco e desde que não seja em um caixa 24 horas).

Lembre-se de acompanhar o dias de aniversário da poupança que é o dia do mês em que você fez o primeiro depósito. Se você resgatar o seu dinheiro antes desse dia vai perder o seu rendimento.

Passo a passo para investir em CDB

Passo 1: escolher um banco emissor. Não precisa ser necessariamente o banco onde você tem uma conta. A dica é pesquisar o banco que te dê a melhor remuneração. Veja aqui uma pequena lista de instituições que podem fazer essa operação:

Tome cuidado quando for contratar um banco pequeno, pois o risco de falência às vezes pode ser maior. É preciso verificar qual é a nota de risco do banco, últimas notícias publicadas ao seu respeito e checar sua saúde financeira através do site do Banco Central. Leia mais sobre pequenos bancos aqui. Veja também quais são os melhores CDBs dos grandes bancos aqui.

Veja aqui uma lista de corretoras mais seguras para fazer a operação, segundo veiculado pela Revista Exame.

Passo 2: Pesquise o tipo de título que vai comprar

Depois de escolher o banco ou a instituição financeira que vai emitir o CDB você vai escolher que título quer comprar. Você terá basicamente duas opções (apesar de existirem outras):

  • CDB prefixado – O investidor vai fazer um acordo com o banco para definir uma taxa fixa (12% ao ano, por exemplo). É indicado quando a taxa de juros está alta, mas com tendência de inflação. Lembre-se que a remuneração prefixada só gera liquidez se você cumprir o prazo estabelecido. Nessa modalidade você pode estabelecer prazos mais flexíveis para resgatar seu dinheiro (a partir de 1 dia);
  • CDB pós-fixado – O investidor vai definir um indicador (como o CDI – taxa que um banco paga ao outro para tomar dinheiro emprestado) que vai ditar as regras da rentabilidade. O indicador pode oscilar até a data da aplicação, por isso não é possível saber exatamente qual será o lucro no final do período. Nesta modalidade, geralmente os prazos são prefixados em 1 ano.

Passo 3: Negocie a taxa

Negociar a taxa com o banco requer firmeza e conhecimento. Não se espante se você chegar lá querendo negociar as taxas do CDB e o gerente dizer que não é possível. A margem para negociação dependerá do interesse da fidelização do cliente pelo banco e do valor da aplicação. Se o banco quiser pagar menos de 95% do CDI pela aplicação o ideal é procurar outro banco ou outro investimento. Outra dica é usar as taxas do Tesouro Direto como base para tentar melhorar esse valor. Geralmente os grandes bancos só começam a pagar mais de 100% do CDI para prazos superiores a três anos.

Alguns especialistas indicam alterar os investimentos entre CDBs de resgate imediato e CDBs com prazos de 1 ou 2 anos para melhorar a rentabilidade. Lembre-se também que, como se tratam de títulos, não é possível para o investidor realizar aplicações adicionais, como ocorre com os fundos ou mesmo a caderneta de poupança. Ou seja, para aumentar as aplicações em CDB, é preciso adquirir um outro título e negociar uma nova taxa com o banco.

A tributação do CDB é cobrada por meio de Imposto de Renda na Fonte (IRF) e o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), caso os recursos permaneçam aplicados por menos de 30 dias. É importante lembrar que o Imposto de Renda considera alíquotas dependendo do prazo de aplicação. Veja a tabela de tributação conforme tempo de aplicação:

Tempo de aplicação

Valor do imposto:

até 180 dias após a aplicação;

22,5%

até 360 dias após a aplicação;

20%

até 720 dias após a aplicação;

17,5%

após 720 dias da aplicação;

15%

Passo a passo para investir no Tesouro Direto

O site do Tesouro Nacional (Ministério da Fazenda) tem um passo a passo bem bacana para quem quer começar a investir no Tesouro Direto. Veja abaixo:

  1. Primeiro você precisa ter CPF e conta corrente em uma instituição financeira.
  2.  A partir daí, você deverá escolher uma instituição financeira, que pode ser um banco ou uma corretora, também chamada de agente de custódia, para intermediar suas transações com o Tesouro Direto.
  3. Entre em contato com a instituição financeira escolhida e solicite seu cadastramento. Você deverá fornecer a documentação necessária para que essa instituição abra uma conta em seu nome para operar com o Tesouro Direto.
  4. A partir disso, você receberá uma senha provisória da BM&FBovespa para o primeiro acesso à área restrita do Tesouro Direto, em que são realizadas as operações de compra e venda, assim como consultas a saldos e extratos.
  5. Troque a senha provisória por uma nova que deverá conter entre 8 e 16 dígitos, composta por letras, números e caracteres especiais. Pronto! Você já será investidor habilitado e poderá começar a investir.
  6. Agora, você precisa descobrir qual título é mais adequado para alcançar o seu objetivo financeiro. Para ajudá-lo nessa escolha, utilize a ferramenta Orientador Financeiro oferecida tanto no site do Tesouro Direto quanto na área restrita ao investidor. Definido o título adequado, basta efetuar a sua compra.

Canais para aplicação:

O Tesouro Nacional também ensina a investir através de 3 formas:

· No site do Tesouro Direto: você pode acessar a área restrita do site e realizar a compra, a venda, programar investimentos e consultar extratos.
· Via site da Instituição Financeira: você também pode acessar o site do Tesouro Direto através do site da sua instituição financeira (consultar se ela está integrada ao site do Tesouro.
· Por meio de sua Instituição Financeira: algumas pessoas autorizam que a própria instituição financeira negocie títulos públicos em nome de seus clientes. Verifique se a sua instituição oferece essa opção.

Resumo do passo a passo:

http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-passo-a-passo

https://youtu.be/_liJArgWvUM

Passo a passo para investir na bolsa

Passo 1: decidir qual o prazo de resgate do rendimento. Quanto maior o prazo, mais probabilidade do rendimento ser maior.

Passo 2: decidir qual ação comprar. As opções são:

Compra direta de ações

Você escolhe as ações que deseja comprar e transmite a ordem para a corretora por telefone ou internet. Comprar ações significa ter “pedaços” de uma empresa e se tornar sócio dela.

  • Gera dividendos (parcela do lucro da empresa distribuída entre os acionistas);
  • Você pode comprar ou vender quantas e quais ações quiser, quando quiser;
  • Você pode emprestar suas ações por meio do Banco de Títulos.

Fundos de índices – ETFs

  • São fundos que buscam obter o retorno de índices, que representam os desempenhos de determinados setores de mercado, com cotas que você compra na Bolsa.

    • O investimento inicial pode ser pequeno (menos de R$200,00, em alguns ETFs);
    • Investir em conjuntos de ações diversifica seu investimento, reduzindo os riscos;
    • Dividendos são automaticamente reaplicados no próprio ETF, fazendo-o crescer;
    • Você pode comprar ou vender suas cotas de ETF como se fossem ações.

Clubes de investimentos

Clubes são grupos de pessoas que se unem para investir. Ganhos e perdas são divididos proporcionalmente entre os membros de acordo com o quanto investiram.

  • Recursos somados e custos divididos deixam o investimento mais acessível;
  • Investidores podem reunir-se para diversificar ainda mais seus investimentos;
  • Todos os clubes de investimento têm representantes e estatutos sociais;
  • Todos os membros podem opinar e contribuir nas assembleias do clube.

Fundos de investimentos em ações

O investidor de um fundo de investimento compra cotas de um fundo de ações, que é administrado por uma corretora ou um banco.

  • O cliente não está adquirindo ações, mas sim cotas de um fundo;
  • É uma forma cômoda de investir, pois o cliente em si não faz qualquer negociação;
  • É possível investir em fundos por meio do seu Banco ou Corretora;
  • Você sempre deve antes pesquisar e comparar a rentabilidade e as taxas dos fundos.

O site da BM&FBovespa dá algumas dicas que ajudam nessa decisão:

  •  Sempre converse com a sua corretora
    As corretoras contam com especialistas que acompanham e analisam as empresas e o momento do mercado. Eles recomendarão quais ações comprar ou vender, em qual quantidade e em que momento. Não se esqueça, porém, que você é o responsável pelo desempenho de seus investimentos e tem total poder para seguir ou não qualquer orientação.
  • Una o seu lado consumidor ao investidor
    Isso significa dar preferência para as ações das empresas das quais você consome produtos ou serviços. Centenas de empresas de diversos setores estão listadas na BM&FBOVESPA. Para saber se a empresa na qual você confia está listada, basta consultar a nossa página de empresas listadas e fazer sua busca.
  • Aprenda o máximo sobre as empresas
    Antes de investir em uma empresa, é importante conhecer suas estratégias, perspectivas de crescimento e comportamento do setor no qual ela atua. Aqui no site da BM&FBOVESPA, você encontra vários documentos sobre todas as empresas listadas, inclusive o “formulário de referência”, no qual você vai saber mais sobre a saúde financeira da empresa.
  • Ainda indeciso? Comece com ETFs.
    Os ETFs (fundos de ações baseados em índices) tem seus desempenhos ligados a grupos de ações, escolhidas segundo características comuns ou setores de mercado. Ao investir num ETF, você não precisará escolher um ou outro grupo de ações, pois estará adquirindo uma cota de um fundo com várias ações, diversificando seu investimento.

A Infomoney disponibiliza algumas planilhas muito interessantes que ajudam você a calcular e comparar os rendimentos das aplicações financeiras. Baixe aqui.

E você já sabe qual aplicação financeira escolher? Deixe seu comentário abaixo:

DICA EXTRA: Agora que você está na direção certa no mundo dos investimentos, descubra como obter rentabilidades 51% superiores em relação à poupança com o mesmo nível de segurança, podendo alcançar taxas superiores a 30% ao ano! Clique aqui e assista ao vídeo.

Bons investimentos!

Ebook Grátis: Como Investir no Tesouro Direto
Como Investir Com Rendimento
  • Passo a Passo como investir
  • Qual o melhor título para investir
  • Rentabilidade de cada título
  • Prática do início ao fim
  • Um das melhores aplicações atualmente
  • Saiba porque fugir da poupança